Lares e Salkantay: 5 motivos para escolher rotas alternativas para Machu Picchu

Uma viagem verdadeiramente autêntica para Machu Picchu, sem as multidões de turistas ao redor. Conhecer a Cidade Sagrada dos Incas pelos caminhos do Vale de Lares é viver uma experiência real de imersão na cultura ancestral peruana. Uma jornada através da história, permeada pelas paisagens deslumbrantes de Cusco e do Vale Sagrado dos Incas. Ou se aprofundar ainda mais no território Inca e estreitar os laços com a natureza numa vivência arrebatadora pela Trilha Salkantay.

Independentemente do roteiro escolhido, o viajante pode esperar uma jornada que supera os limites do simples conhecer. Explorar as trilhas que levam a Machu Picchu é vivenciar uma experiência legítima entre os tesouros Incas, refazendo os caminhos que guiaram uma civilização.

Veja 5 motivos para escolher as trilhas do Vale de Lares ou Salkantay, no Peru, como roteiro para Machu Picchu!

1.   Vivenciar a cultura andina

Muitas pessoas perdem grande parte do encanto de Machu Picchu ao realizar a viagem de trem entre Cusco e a Cidade Sagrada dos Incas. Embora seja muito mais rápido, o trajeto de trem é uma opção extremamente turística. Ao optar por fazer uma caminhada até Machu Picchu, o viajante tem a oportunidade de visitar comunidades e interagir com os habitantes da região.

No roteiro de Lares, o viajante visita vilarejos tradicionais presentes no trajeto pelo Vale Sagrado Inca, como Choquecancha e o famoso mercado de Pisaq. Assim como localidades mais remotas, como Huacahuasi e Ollantaytambo, a cidade mais antiga da América Latina ainda habitada. Essa é uma oportunidade de conversar com os locais, observar de perto as tradições e costumes. Vivenciar, de fato, a cultura andina.

2.   Conhecer outras cidades no Vale Sagrado Inca

Ao transitar pelas trilhas que levam até a Cidade Sagrada Inca, o viajante visita outras cidades e tesouros do Vale Sagrado. Como Chinchero, um pequeno povoado conhecido como “cidade do arco-íris”. Além de ruínas Incas, a cidade abriga ateliês onde mulheres produzem artesanalmente as coloridas vestimentas típicas andinas.

Em Viacha, uma comunidade mais isolada, o viajante pode aprender sobre as práticas de produção artesanal de babatas. Sabe-se que os Incas eram exímios produtores agrícolas, tendo inovado em muitas técnicas de produção. E que tal aproveitar uma tradicional refeição “pachamanca”, cozida nas pedras quentes?

3.   Visitar os sítios arqueológicos de Pisaq, Ancasmarca e Ollantaytambo

Machu Picchu, a “Montanha Velha” é apenas um dos sítios arqueológicos presentes nos arredores de Cusco. Pisaq, Ancasmarca e Ollantaytambo são sítios arqueológicos importantes para a civilização Inca. Conheça cidades inteiras, seus templos, residências, escolas, áreas militares e outras edificações Incas.

Do alto da fortaleza de Ollantaytambo, o visitante terá uma visão panorâmica sobre o Vale Sagrado. A cidade foi construída estrategicamente para vigiar o Vale, servindo como complexo astrológico, religioso e militar. Abaixo do sítio arqueológico, está o atual vilarejo de Ollantaytambo junto ao rio Urubamba. Pisaq, por sua vez, também era um centro religioso, muito usado para experimentos agrícolas e observação astronômica. Em Pisaq, também está o maior cemitério pré-hispânico da América Latina!

4.   Contato direto com a natureza

Uma certeza dos roteiros pelas trilhas andinas é a paisagem de tirar o fôlego. A mais de 2.500 metros de altitude, o viajante caminha entre montanhas. Margeando o rio Urubamba, considerado sagrado pelos Incas, enquanto visita vilarejos, aldeias, povoados e cidades que parecem “paradas” no tempo.

Nos roteiros alternativos para Machu Picchu o viajante experiencia, de fato, a energia da natureza. Viajar para Machu Picchu, geralmente, é ligado a algo espiritual. Aprofundar-se nas belezas da região andina é, sem dúvida, uma viagem de autoconhecimento e conexão ancestral.

A trilha Salkantay explora ainda mais a natureza andina. Mais longa e com maior exigência física, a trilha percorre montes nevados, passando por diferentes picos e caminhos menos explorados.

5.   Roteiro flexível com pernoites em lodges

K’uychi Rumi Exclusive Lodging no Vale Sagrado – Peru

Tanto o roteiro Lares como o Salkantay contam com mais de 2 opções de passeios diários. O viajante pode escolher uma visita a uma comunidade local, uma caminhada para outra vila ou mesmo outra atividade cultural. Os roteiros ainda incluem opção de esportes durante a jornada. Além do trekking, é possível explorar a região de bicicleta, andar a cavalo ou praticar tirolesa.

Os roteiros, de 5 e 7 dias, contam com pernoite em lodges localizados nas cidades inclusas nas rotas. São espaços confortáveis e luxuosos, uma maneira de unir comodidade às atividades físicas e culturais realizadas durante a viagem.

Se você deseja viver (não só conhecer) os encantos da região andina, consulte os roteiros de viagem da Ativa Turismo. Escolha a duração da sua jornada, de 5 ou 7 dias, e as opções de roteiros para Lares e Salkantay.

Chegou sua hora de conhecer os mistérios que envolvem a  civilização Inca! Conheça não só Machu Picchu, mas toda a região que compreendia o Império Inca!

Contate nossos consultores e reserve sua viagem!